18 de maio de 2022

Resenha: Floresta dos Medos - Emily Carroll

Semana passada, o dia 13 caiu em uma sexta-feira... Aproveitando esse clima trevoso, a leitura que me acompanhou foi Floresta dos Medos da autora Emily Carroll


O livro Floresta dos Medos são divididos em cinco histórias que dão frio na espinha. Nelas, a quadrinista canadense ― ganhadora de um prêmio Eisner, um dos mais importantes do universo dos quadrinhos ― explora o medo subjetivo e imagético, composto de sensações estranhas que raramente conseguimos explicar. Não espere sustos que farão você pular; aqui, olhares de relance para os cantos do quarto serão muito mais comuns. Será que você está realmente sozinho em casa?    


O texto de Emily Carroll é poderoso e poético, e suas ilustrações, carregadas de tons sombrios e avermelhados. Seu trabalho elegante evoca o etéreo dos contos dos irmãos Grimm, o extraordinário de Neil Gaiman, o gótico de Edgar Allan Poe e, principalmente, o realismo mágico de Angela Carter. E, assim como os grandes mestres, incita o leitor a enfrentar seus próprios medos e fraquezas. Você também ouviu uma batida à porta?  
DarkSide® Graphic Novel é uma expansão do universo sombrio e fantástico da editora, lar de Charles Burns, autor de Black Hole e Big Baby, e de quadrinistas de renome como Dave McKean, Nagabe, Junji Ito, Kate Evans, Emily Carrol, Danilo Beyruth, Bernie Wrightson, Derf Backderf (de Meu Amigo Dahmer), entre outros. Se você é fanático pela arte sequêncial, prepare-se para se surpreender novamente com sua velha paixão. Os que não têm o hábito de ler hqs, não vão se arrepender. Quem aposta no escuro com a DarkSide® costuma virar fã.  


Floresta dos Medos
DarkSide Books
Autora/ilustradora: Emily Carroll
Tradutora: Bruna Miranda
208 páginas
Avaliação: ☕☕☕☕☕



Sinopse: Uma garota empunha uma lamparina para vencer os contornos da escuridão. Ali perto, uma floresta. Calada e fantasmagórica, repleta de coisas estranhas. Criaturas misteriosas, sussurros velados, medos inomináveis. Pense naquilo que faz seu sangue correr depressa pelas veias. Uma voz sem corpo? Uma visão fantasmagórica? Ou, quem sabe, a possibilidade de viver algo sobrenatural? Aguarde na penumbra e fale baixo. A DarkSide® Books convida você para um passeio pela floresta cheia de rostos pálidos e mãos geladas da premiada ilustradora Emily Carroll. Mas tome cuidado: assim como nos contos de fada, nem tudo que habita seus arredores é aquilo que parece ser.


Os medos, aqui, são diversos: Três irmãs que ficam sozinhas em casa e, uma por vez, desaparecem. O fantasma de uma mulher que aguarda vingança. Um homem que sempre viveu à sombra de seu irmão decide assassiná-lo. Uma garota e sua amiga médium exploram a dor e o luto dos outros em um golpe elaborado. E, por fim, uma menina visita seu irmão casado apenas para descobrir um segredo terrível e visceral. Sinceramente, eu não considero Graphic Novel da DarkSide® o meu tipo de leitura conforto... Mas, a leitura do livro Floresta dos Medos cumpre o que promete com direito a gritinhos horripilanntes na madrugada que é geralmente o horário que eu leio.



Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também

16 de maio de 2022

Booktag: Frases de mãe.


Pois é, estou um pouco atrasada, mas resolvi postar mesmo assim a Tag #FrasesdeMae. São frases clássicas ditas pelas mamães e que devemos associar a algum livro. Como ainda estamos no mês das mães, achei que tudo bem responder, Pois, são frases bem famosas e que eu mesma ouvi a maioria delas... hahaha. E, claro, deixando os créditos, a TAG foi criada pela Tati Salazar (Coleções Literárias) e pelo Márcio Silva (Um Baixinho nos Livros). Se você for responder a essa Tag também, não deixe dar os devidos créditos.


1. Eu vou contar até 3... (Um livro que não via a hora de acabar.)




Foi uma Leitura sofrível! No decorrer do livro veio à pergunta “tem certeza que é o mesmo autor?” fiz algumas tentativas nos dias anteriores, mas a leitura não engrenava só não abandonei a leitura, pois queria comprovar a ruindade do livro... O livro não é de todo péssimo, algumas coisas no decorrer da historia animou, mas para quem estava acostumada com o livro ACEDE assim como eu, pode ficar frustrado com o decorrer da historia.

2. Se você falar isso de novo te arrebento os dentes! (Um livro que você não suporta que falem mal.)


Depois desse livro as pessoas se tornaram "críticos literários" escrevendo muitas caquinhas sobre a leitura. Quando lançou o filme então... Enfim, é um livro intocável na minha estante.

3. Se você correr vai ser pior! (Um livro que você corre dele, mas sabe que um dia vai ter que ler.)


Eu recebi o livro A longa viaggem a um pequeno planeta hostil em um clube de assinaturas. Na primeira tentativa, a leitura não engrenou... Depois, de tanto ouvir maravilhas sobre o livro/autora eu pretendo ler esse livro e também a continuação.
 
4. Vem comer se não esfria! (Um livro que você leu logo que lançou).


Eu geralmente não compro um livro em pré lançamento. Porém, o PARA SEMPRE VOU TE AMAR... : CATHERINE RYAN HYDE é é uma autora como poucas. Suas histórias, que já emocionaram milhares de leitores pelo mundo, são capazes de nos acompanhar até nos momentos de maior solidão. Eu tinha certeza que eu iria favoritar ❤️essa leitura e cumpriu todas as minhas expectativas. O livro faz parte da linha Darklove da editora DarkSide®Books. A editora criou uma coleção com histórias sobre a força feminina na literatura.

5. Você não é todo mundo! (Um livro que todo mundo odeia, menos você).


Essa semana, eu descobri que o livro Bom dia, Verônica um alucinante thriller policial NACIONAL! Não é um livro que agradou a maioria dos leitores... A protagonista Verônica não é a mocinha. Embora, ela procure Justiça ela não é "flor que se cheire" e mostra isso no decorrer da narrativa.



6. Quantas vezes eu já disse para você não fazer isso? (Um personagem que mais te irritou e fez burrada)


Anna do livro "Anna e o Beijo Francês" no começo do livro ella fez uma birra por nada...Em vez de aproveitar a chance de estudar na França... Deixando o leitor morrendo de raiva das atitudes de Anna.

7. Não, quando digo não é não! (Um livro que você não lerá, não importa o quanto as pessoas falem bem).

Eu não gosto de ler Biografias em geral... Principalmente de pessoas muito jovens que não viveram o suficiente para ter uma biografia.

8. Não mente para mim! (Um personagem mentiroso, ou um personagem que te enganou direitinho).


Durante a leitura  do livro O Menino do Pijama Listrado  que era narrada por uma criança o leitor fica "inocente" durante todos os acontecimentos da história que ocorre próximo a um centro de concentração nazista na 2° guerra mundial ... 

9. Coração de mãe não se engana! (Um livro que te conquistou pela capa e a leitura foi ainda melhor).


Fiquei com dó da versão da capa azul desse livro. Ao terminar a leitura me fez ter a sensação que todos deveriam gastar o seu tempo lendo é o livro Extraordinário - R. J. Palácio.

10. Tá chorando sem motivo por que? Pera aí que eu vou te dar um motivo para chorar!(Um personagem chorão, que te fez raiva)


Lembro de ter ficado muito indignada com essa leitura... Ok, que era um drama e tal mas, era desnecessaria Tanta choradeira de uma forma TÃO intensa.

11. Come só mais um pouquinho! (Um livro que fez você dizer: Vou ler só mais um pouquinho)


 É uma leitura infanto-juvenil delicinha de ler. Comecei de noite e terminei na madrugada...

12. Quantas vezes vou ter que repetir?(Um livro que você teve ou terá que reler para entender melhor)



Tenho esse livro há mais ou menos 5 anos. E desde então, está na minha estante na parte dos livros "já lidos" porém, não lembrava de já ter lido ou abandonado á leitura... Na semana passada, zapeando na blogosfera cheguei a ler algumas resenhas e trechos e resolvi finalmente ler. Uma das grandes lições desse livro é que aprendemos cedo ou tarde que as pessoas que amamos se vão e simplesmente temos que virar protagonistas da nossa própria história. A leitura do livro é simples e bela, juntamente com a história da nossa John Lennon - apelido carinho dado por Joe -. Você se envolve de uma forma surpreendente com Lennie e torce para a sua felicidade. Na maioria do início dos capítulos, há poemas ou mensagens escritos por Lennie. Adorei a ideia.

13. Não fez mais que sua obrigação! (Um livro que você leu por "obrigação").

Não lembro.

14. Coração de mãe sempre cabe mais um! (Os três próximos livros que você está louco para comprar).

Eu quero muito ler os livros da Ana Ferrante e até coloquei alguns ebook´s no Kindle para ler ainda esse ano

15. Isso, quebra mesmo. Não foi você quem pagou! (Um livro que você emprestou e voltou irreconhecível).


Eu geralmente não empresto livros e talz... Justamente, para não agredir ninguém. Mas, eu adiquiri o livro O Doce Veneno do Escorpião - Bruna Surfistinha e emprestei o livro para o meu tio que alegou ter emprestado para o seu filho adolescente e esse livro simplesmente sumiu...



9 de maio de 2022

Primeiras Impressões #10: O Morro dos Ventos Uivantes, de Emily Brontë.

"Onde está Heatcliff?", perguntou interrompendo minha cantiga. Único romance da escritora inglesa Emily Bronte, O morro dos ventos uivantes retrata uma trágica historia de amor e obsessão em que os personagens principais são a obstinada e geniosa Catherine Earnshaw e seu irmão adotivo, Heathcliff.


Eu adquiri o livro O Morro dos Ventos Uivantes de Emily Bront na promoção Dark Crush desse ano. Embora, eu já tenha vontade de ler o clássico Emily Bront  á muito tempo e felizmente eu consegui adquirir na edição da DarkLove Classics que é uma marca que reúne histórias inovadoras escritas por mulheres à frente de seu tempo: vozes do passado que abriram caminho para autoras no presente. Os títulos mais amados da literatura clássica agora têm lugar reservado na DarkSide® Books

A primeira dificuldade em começar a ler O Morro dos Ventos Uivantes é que não fica claro nas primeiras páginas quem é o narrador da história... A narração do livro fica por conta de dois personagens: Mr. Lockwood, que narra principalmente o início e o fim da trama, e Nelly, empregada da família Earnshaw e testemunha ocular de todos os acontecimentos. Depois da página 100... acabei percebendo um aspecto interessante da narrativa que é a alternância de vozes e a linguagem utilizada pela autora. Em diversos momentos, um personagem narra a história de outro personagem, algo pouco comum para a literatura da época.



Na infância, o personagem Heathcliff era maltratado por todos na casa do Morro; somente Catherine o enxergava como um ser humano afetuoso. Por ser de origem cigana, todos o mal diziam, chamando-o de asqueroso, sujo, pobre e mal-educado. Talvez... isso explique a trama da história.

"Malditos sejam os efeitos de um chá amargo e de um gênio ruim"

No inicio do ano, eu comecei a leitura do livro O Morro dos Ventos Uivantes de Emily Bront no intercalando com a leitura do livro Jantar Secreto - Raphael Montes. Porém, eu tive uns problemas pessoais e tive que pausar as minhas leituras... 



Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também 

6 de maio de 2022

Bookstagram: Como escrever resenhas literárias para o Instagram.

Quando começou a pandemia, eu comecei a ler com mais frequência. Principalmente, os livros que estavam parados na minha estante. Na época, conheci alguns grupos literários que organizavam várias Leituras Coletivas e foi por meio desses grupos que eu conheci o Bookstagram (Instagram sobre livros)Naquele ano, eu criei o Expresso Literário um Bookstagram para colocar as minhas fotografias dos detalhes dos livros que eu vou lendo e escrever as minhas experiências com essas leituras. No começo, eu iria começar a colocar somente as fotografias & quotes. Pois, as minhas resenhas eram bastante extensas para colocar no Instagram.


Pensando na dificuldade de escrever resenhas literárias com caracteres contados pela legenda da rede social eu montei uma estrutura para escrever uma resenha literária no Instagram de uma maneira mais resumida respeitando os caracteres. Porém, bastante completa:

ESTRUTURA PARA ESCREVER UMA RESENHA LITERÁRIA 
NO INSTAGRAM



Quote do livro: Uma frase que mais te marcou no livro.

Detalhes do livro: nome do livro. Autor e editora.

Alerta de conteúdo: Se o livro contém conteúdo que possam ser sensíveis para os leitores e despertar gatilhos emocionais.

Resumo da Sinopse: Escrever a sinopse de uma maneira resumida com no máximo 4 linhas.

Narrativa: O livro é narrado sob a perspectiva de qual personagem? O que você achou dessa narrativa com o decorrer da leitura?

Descrição dos personagens: fale um pouco dos personagens e suas características.

Sua opinião sobre o livro: Aqui você escreve sobre a sua opinião sobre a leitura e destaca pontos positivos e negativos da leitura.


Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.

(principalmente no Snap!!): 
FanPage | Instagram | Bloglovin





3 de maio de 2022

Resenha: Fragmentos do Horror do Autor Junji Ito.

Semana passada, eu terminei de ler Fragmentos do Horror do autor Junji Ito esse é o primeiro livro de mangá publicado pela DarkSide® Books.


Fragmentos do Horror é uma coleção de histórias curtas, perfeitas para quem quer experimentar o que a mente tão delirante de Junji Ito é capaz de produzir. Ito-san oferece ao leitor nove encontros com o desconhecido.  Entre as histórias da coletânea, temos uma mansão velha de madeira que gira sobre seus habitantes. Uma turma de dissecação com um assunto nada comum. Um funeral em que os mortos definitivamente não são postos para descansar. Variando do aterrorizante ao cômico, do erótico para o repugnante, essas histórias apresentam o retorno de Junji Ito há muito aguardado para o mundo do horror. 


O Autor: Junji Ito é um autor japonês de mangás de terror, mais conhecido pelas séries “Tomie” (uma garota imortal que leva os seus admiradores à loucura), “Uzumaki” (três volumes que contam a história de uma cidade obcecada por espirais) e “Gyo” (uma história em que peixes são controlados por um odor maligno). Temas recorrentes de sua obra incluem terror físico, personagens aparentemente comuns que começam a agir motivados por compulsões irracionais, o colapso da cidade, organismos do fundo do mar e a inevitabilidade da morte.



Livro: 
Fragmentos do Horror
魔の断片
Autor: Junji Ito
Tradução: Akemi Ono
Ano: 2017
Editora: DARKSIDE BOOKS
Páginas: 224



A DarkSide® Graphic Novel é uma expansão do universo sombrio e fantástico da editora, lar de Charles Burns, autor de Black Hole e Big Baby, e de quadrinistas de renome como Dave McKean, Nagabe, Junji Ito, Kate Evans, Emily Carrol, Danilo Beyruth, Bernie Wrightson, Derf Backderf (de Meu Amigo Dahmer), entre outros. Se você é fanático pela arte sequêncial, prepare-se para se surpreender novamente com sua velha paixão. Os que não têm o hábito de ler hqs, não vão se arrepender. Quem aposta no escuro com a DarkSide® costuma virar fã.

O livro Fragmentos do Horror foi o meu primeiro contato com os Mangás é a palavra usada para designar quadrinhos feita no estilo japonês. No Japão, o termo designa quaisquer histórias em quadrinhos. O livro segue o padrão japonês, com a leitura sendo feita da direita para a esquerda, e reúne nove contos de horror. Eu senti uma certa dificuldade na leitura precisei ler o primeiro conto 2X para compreender a história mas depois engatou a leitura e consegui ler toda a coletânea. A experiência de ler esta obra é poder mergulhar em um tipo de terror diferente do qual estamos acostumados. Não há medo nessas páginas, mas sim o bizarro mesclado com o nojento, o surreal e o fantástico…. É um horror que choca e, talvez, incomode.

Eu gostei de ler todos os contos. Mas, um dos contos que chamou a minha atenção é A Mulher que Sussurra que mistura o improvável com o chocante.  As ilustrações é a qualidade maior da obra, os desenhos são sensacionais. O traço do autor beira o realismo tamanha sua preocupação com os detalhes de cenários e personagens. E isso faz com que as partes mais grotescas e bizarras das histórias consigam nos embrulhar o estômago.


Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também


Primeiras Impressões #09 – Minha vida fora dos trilhos - Clare Vanderpool

No início do mês, eu comecei a leitura do livro Minha vida fora dos trilhos da escritora Clare Vanderpool. O livro faz parte da linha Darklove da editora DarkSide®Books. Eu adquiri esse livro na mesma época que eu terminei a leitura do livro Em Algum Lugar Nas Estrelas da mesma autora mas, sempre procrastinei para ler esse livro #confesso.



O balanço do trem me embalava como uma canção de ninar.
O livro Minha vida fora dos trilhos trata-se da história de Abilene Tucker, que tem apenas 12 anos, mas é corajosa e impetuosa o suficiente para encontrar aventuras na pequena cidade de Manifest - Kansas, um fim de mundo para onde seu pai a enviou de trem a fim de passar o verão sob a tutela de um velho conhecido enquanto ele trabalha em uma ferrovia. No início, a narrativa do livro mostra-se devagar quando Abilene diz sem muitos detalhes sobre o acidente ocorrido em uma estação ferroviária com a personagem, deixando-lhe com uma cicatriz no joelho sem dar muitos detalhes no início da história.




A personagem principal Abilene Tucker está se mostrando uma criança bem corajosa. Eu também estou perguntando Que tipo de miolo mole começa as aulas no último dia? A menina mal chegou na cidade de Manifest - Kansas, e já teve que socializar com as crianças de sua faixa etária mesmo não sabendo se iria continuar na cidade para encontrá-las no próximo ano. Abilene não sabe o que esperar da cidade, mas gostaria de poder conhecer a história do próprio pai.


“Para mim, aquelas coisas eram como tesouros de um museu, objetos que uma pessoa podia estudar para aprender sobre outro tempo e os indivíduos que nele viveram. ”


Ela irá encontrar uma caixa de charutos com cartas antigas e pequenos objetos, que torna para ela, uma caixa de tesouros e segredos. O livro é dividido entre o passado e o presente, relatando os acontecimentos da época da Primeira Guerra Mundial à Grande Depressão norte- americana dos anos 1930. Quero continuar a leitura do livro Minha vida fora dos trilhos da autora Clare Vanderpool. Pois, estou muito curiosa nessa aventura cheia de descobertas da menina Abilene Tucker. E fiquei pensando porque a Srta. Sadie podia ajudar.


Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também

1 de maio de 2022

Como escrever resenhas literárias para Blogs?

Quando perguntam como eu comecei a escrever resenhas literárias eu nunca sabia como responder... Eu comecei a escrever As minhas opiniões não solicitadas sobre as minhas leituras por influência de alguns blogs que eu acompanhava na época, e talvez por vontade de compartilhar em algum lugar sobre o que eu estava lendo. Quando eu criei um Blog literário com extensão ao perfil literário no Instagram eu percebi que as minhas resenhas antigas eram simples, precisei re-escrever esses textos para publicar aqui no Expresso Literário.

A Natasha Andrade, do Diário Galáctico montou uma estrutura para escrever uma resenha literária bastante completa. Antes de escrever a última resenha literária aqui no blog. Lembrei-me que, eu tinha digitalizado no Word e pedi a devida autorização para publicar aqui no Expresso Literário. 

ESTRUTURA PARA ESCREVER UMA RESENHA LITERÁRIA


Narração: O livro é narrado sob a perspectiva de qual personagem? O que você achou dessa narrativa com o decorrer da leitura? Boa ou ruim?

Personagens: Quais são os personagens principais da história? Geralmente eu escrevo um perfil dos personagens com informações importantes (nome, idade e caracteristicas importantes) e qual a importância desse na narrativa que esta sendo contada.

Detalhes do livro: O nome do livro; Escritora; Editora; N° de Páginas e o ano de lançamento.

E book ou Livro Físico: É importante escrever se você leu o livro em E book ou Livro Físico. Não que a experiência literária de ambos sejam melhor/pior mas eu acho que a sua experiência em leitura torna-se mais dinâmica.

Enredo:  O enredo é um dos elementos que estruturam o texto narrativo. Ele configura uma sucessão de fatos que constituem a ação em uma narrativa. Podemos dizer se um enredo transforma o texto narrativo em algo mais leve ou pesado para a continuação da leitura da obra literária.

Ilustrações: Se a obra literária contém ilustrações. É uma linguagem visual que agrega informações ao texto - Escreva o quanto isso agregou em sua experiência literária.

Gatilhos ou Alerta de conteúdo: Se o livro contém conteúdo que possam ser sensíveis para os leitores e despertar gatilhos emocionais.

Para escrever uma boa resenha literária você precisa dividir o seu texto e criar uma estrutura para o seu texto. Uma Resenha Literária completa tem 5 a 7 parágrafos mas podemos moldar de acordo com a  e em qual rede social (Blog, Instagram,Facebook,Skoob...) iremos publicar á resenha que iremos escrever.


 

1° parágrafo: Nesse parágrafo, iremos  iremos escrever Informações sobre a obra e o autor escrever a sinopse de uma maneira resumida com no máximo 4 linhas. Essas informações estão no livro e podemos escrever de uma maneira resumida (pinceladas).

2° parágrafo: Nesse parágrafo, você vais escrever sobre a sua percepção sobre a obra aqui você vai escrever a sua opinião (sútil) sobre a obra. Se você gostou. Mas, tem seus poréns... E se você não gostou tentar ser um pouco sútil com as palavras e escrever com argumentos do porquê você não gostou... Leia o FEEDBACK SANDUÍCHE: MÉTODO PARA ESCREVER RESENHAS NEGATIVAS.

 3° parágrafo: Nesse parágrafo, iremos Destrinchar uma citação que é reescrever as citações mais marcantes da obra e você vai dizer as mensagens que representam aquela obra naquela situação. Não precisa ser um parágrafo grande! Embora seja uma parte importante da resenha não precisa ser algo muito extenso.

4°e 5° parágrafo: Nesse parágrafo, Falar um pouco mais sobre os personagens... eu escrevo as características dos personagens principais durante a narrativa: sobre a construção do personagens se foi positiva ou negativa; O que esse personagem representa na sociedade; Escrevendo de uma maneira mais crítica... Se esse personagem incomodou ou causou algum tipo incomodo ao ler essa obra literária.

6° e 7° parágrafo: Nesse parágrafo, você vai escrever sua opinião sobre o livro se você gostou ou não gostou da obra literária. Identificação da mensagem geral nesse momento que você identifica a mensagem que autor quer passar se você não gostou da obra você pode escrever que o autor quis passar aquela mensagem porém não ouve a identificação pessoal sobre o livro e iremos escrever sobre o que entendemos sobre o conceito geral da obra.

Lembrando sempre: Para uma Resenha Literária ser considerada relevante mesmo sendo uma resenha negativa devemos escrever as criticas sempre de uma maneira construtiva e com palavras que respeitem tanto o escritor(a) quanto os outros leitores que gostaram da leitura.

 

Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.

(principalmente no Snap!!): 
FanPage | Instagram | Bloglovin

28 de abril de 2022

Resenha: A Guerra Que me Ensinou a Viver, Kimberly Brubaker Bradley.


" É possível saber um monte de coisas e mesmo assim
não acreditar em nenhuma delas."


No final do ano passado, eu comecei a re-leitura do livro A Guerra Que Salvou a Minha Vida e na sequencia eu comecei a ler A Guerra Que Me Ensinou a Viver também da autora Kimberley Brubaker Bradley.

A leitura de A Guerra Que Me Ensinou a Viver tem uma narração clara em primeira pessoa, com capítulos curtos. As palavras de Kimberley fluem com a capacidade incrível de transportar o leitor em uma imersão na história e o crescimento dos personagens diante de um cenário devastado pela guerra. Nos primeiros capítulos, é um pequeno resumo da narrativa do livro A Guerra Que Salvou a Minha Vida e como Ada seu irmão James vieram morar com Susan― agora sua guardiã legal-. Depois de uma infância de maus-tratos, Ada finalmente recebe o cuidado que merece ao ter seu pé operado.

⚠️ Alerta de conteúdo: Negligência parental em relação com a deficiência, problemas familiares e luto.

Os personagens principais continuam sendo: Ada ajustando-se à sua nova realidade e superando os traumas do passado e a mudança com Jamie juntamente com Susan para um chalé em busca de um recomeço em tempos de guerra. Com a chegada de Ruth, uma garota judia e alemã, que gera uma comoção no chalé. Seria ela uma espiã disfarçada? Ou uma aliada em meio à calamidade? Ada teve uma infância muito traumática, passando por momentos difíceis e de partir o coração com sua mãe e para somar toda essa carga emocional, a Segunda Guerra estava começando. Neste segundo livro teremos uma personagem tentando lidar com a sua nova realidade e superar todos os traumas do passado.



A edição física do livro é de longe uma das mais caprichadas da editora e uma das mais lindas que já vi. A capa do livro tem relevos com desenhos com cores antigas e desenhos que imitam tecidos costurados e desenhos de botões. É o lançamento da DarkSide Books, é a primeira Editora do Brasil dedicada ao terror e à fantasia. A editora criou uma coleção Darklove com histórias sobre a força feminina na literatura.



Livro: A Guerra Que me Ensinou a Viver
Escritora: Kimberly Brubaker Bradley
Editora: Darkside Books
Páginas: 280
Lançamento: 2018
Avaliação: ☕☕☕☕☕


Sinopse: Após uma infância de maus-tratos, Ada finalmente recebe o cuidado que merece ao ter seu pé operado. Enquanto tenta se ajustar à sua nova realidade e superar os traumas do passado, ela se muda com Jamie, lady Thorton e Susan — agora sua guardiã legal — para um chalé em busca de um recomeço. Com a guerra se intensificando lá fora, as adversidades batem à porta: o racionamento de alimentos é uma preocupante realidade, e os sacrifícios que todos devem fazer em nome do confronto partem corações e deixam cicatrizes. Outra questão é a chegada de Ruth, uma garota judia e alemã, que gera uma comoção no chalé. Seria ela uma espiã disfarçada? Ou uma aliada em meio à calamidade? Mais uma vez, Kimberly Brubaker Bradley conquista com sua narrativa carregada de sensibilidade. Seu registro historicamente preciso revela o conflito armado pela perspectiva de uma criança, além de lançar luz sobre a atual crise de refugiados, a maior desde a guerra de Hitler, que já obrigou milhões de pessoas a deixarem seus lares em busca de paz. Discutindo assuntos delicados com ternura, a autora guia o leitor por uma jornada que mostra a beleza dos pequenos gestos. E, ao revelar as camadas de seus personagens, apresenta uma história sobre amadurecimento e aceitação — principalmente para Ada, que precisa aprender a acreditar. Acreditar em sua família e em si mesma. Na resiliência que vem da dor. Na superação que vem do medo. Na empatia, que reacende a humanidade. E no amor, é claro. Em sua forma mais pura e sincera. A escritora Kimberley Brubaker Bradley vive com o marido e os filhos em uma fazenda no sopé das Montanhas Apalaches, entre pôneis, cães, gatos, ovelhas, cabras, e muitas, muitas árvores. É autora de vários livros, entre eles Leap of Faith e Jefferson’s Sons. A Guerra que Salvou a Minha Vida ganhou o Newbery Honor Book, o Schneider Family Book Award e o Josette Frank Award, além de ter sido eleito entre os melhores livros de 2015 pelo Wall Street Journal, a revista Publishers Weekly, a New York Public Library e a Chicago Public Library, entre outros.



A minha percepção sobre a continuação de A Guerra que Salvou a Minha Vida é que a leitura torna-se realmente necessária. A narrativa do livro A Guerra Que Me Ensinou a Viver mostrou o amadurecimento tanto da Ada quanto dos outros personagens a Kimberley B. Bradley conseguiu escrever de uma maneira tão sensível sem perder a essência da história. A personagem Ruth, uma garota judia e alemã, que gera uma comoção no chalé lembrou-me da personagem Ada no início da história e o quanto é necessário olhar o sofrimento do outro para reconhecer as nossas próprias dores...

Ada é uma criança que sofreu bastante com a negligência e isso deixou muitos traumas e cicatrizes durante a sua infância Susan conseguiu acolher Ada em uma conversa: " Eu sei que você sempre cuidou do seu irmão quando morava com a sua Mãe... Porém, agora eu sou a Guardiã Legal tanto de você quanto do Jamie e de hoje em diante eu assumo daqui... e você deve ser criança e fazer coisas de criança! ". Depois dessa conversa podemos perceber que Ada começou a confiar em Susan e como ela começou aproveitar a sua infância além de ter as suas tarefas de “vigiar a guerra”. A narrativa do crescimento dos personagens é realmente necessário para o desenrolar da história e me deixou com o coração quentinho.



" É possível saber um monte de coisas e um dia, enfim, acreditar em todas elas."



 Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.

(principalmente no Snap!!): 
FanPage | Instagram | Bloglovin



8 de abril de 2022

5 motivos para ler : Em Algum Lugar Nas Estrelas - Clare Vanderpool.


“Não existem coincidências. Apenas milagres e aos
 montes.”


Em Algum Lugar Nas Estrelas, É Um romance intenso sobre a difícil arte de crescer em um mundo que nem sempre parece satisfeito com a nossa presença. Pelo menos é desse jeito que as coisas têm acontecido para Jack Baker. A Segunda Guerra Mundial estava no fim, mas ele não tinha motivos para comemorar. Sua mãe morreu e seu pai... bem, seu pai nunca demonstrou se preocupar muito com o filho. Jack é então levado para um internato no Maine. O colégio militar, o oceano que ele nunca tinha visto, a indiferença dos outros alunos: tudo aquilo faz Jack se sentir pequeno. Até ele conhecer o enigmático Early AudenHoje traremos 5 motivos para você ler esta obra incrível:


 5 MOTIVOS PARA LER : Em Algum Lugar Nas Estrelas


☆Narrativa: Eu não conhecia a escrita da Clare Vanderpool até ler esse livro. Embora, a história seja intensa a  narrativa em 1° pessoa do menino Jack deixou a história com uma narrativa mais leve.

Amizade Verdadeira: O personagem Jack fez uma amizade improvável até então, com o garoto Early Austen. Early é um garoto que tem autismo apesar de todos fazerem Bullying com ele Jack é um garoto que protege e criam um laço importante para essa amizade.

Reflexão: Early é um garoto que tem autismo e é muito inteligente, ele é apaixonado pelo famoso número PI, e acaba levando Jack junto para um mundo de grandes descobertas e assim viajam por muitos lugares, o que é incrível.

O Crescimento  dos Personagens: Durante a narrativa, vamos percebendo que as duas crianças estão amadurecendo e percebemos o quanto esse processo é difícil em um mundo que nem sempre parece satisfeito com a nossa presença.

Repertório Musical: A Darkside tem uma playlist musical para cada livro lançado pela editora. As musicas são escolhidas a dedo para uma viagem literária perfeita.  

 


- Leia a resenha de Em Algum Lugar Nas Estrelas - Clare Vanderpool e conheça melhor essa incrível e emocionante história.


Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também
FanPage | InstagramBloglovin
© Expresso Literário
Maira Gall