7 de jul. de 2022

“SOBRE UMA SENSAÇÃO INEXPLICÁVEL...”

Ontem eu li um post da Lu @sentapraler onde ela começava escrever o texto assim: “Tem algumas coisas na vida que te dão uma sensação inexplicável...” e senti a necessidade de escrever algumas coisas sobre os últimos acontecimentos.


No início de 2020, a pandemia atrapalhou todos os meus projetos (pessoal e profissional) a internetê´s apresentou-se para mim de uma outra maneira... Eu já escrevia sobre: música underground, fotografias e livros no meu blog pessoal há 10 anos. Porém, em 2020 eu conheci o termo “Bookstagram” e criei um Instagram sobre livros e logo depois um Blog Literário – com extensão ao perfil literário no Instagram-. Desde o início, ambos [Instagram e Blog literário] foram encarados como um Projeto da pandemia, quando a vida voltasse ao “normal”, esses projetos seriam encerrados ou talvez menos atualizados.

A minha vida não voltou ao “normal” depois da pandemia. Eu comecei a usar a Fotografia e a Literatura (que são atividades corriqueiras na minha vida) como um processo terapêutico e isso começou a me preencher de uma forma, que eu mal posso explicar para vocês. Porém, a vida tem um jeito peculiar de nos surpreender... 


Em junho, o Expresso Literário completou 2 anos. Eu criei esse espaço com o objetivo de compartilhar meu amor pela leitura e não imaginava que esse lugarzinho serviria para estimular ainda mais essa paixão em mim... Confesso que, a possibilidade de influenciar alguém me deixa angustiada! O Blog literário – com extensão ao perfil literário no Instagram- com uma linha editorial tão especifica ensina a lidar com a internetês de uma forma diferente e com novos aprendizados a cada dia.


Quando eu pensei na possibilidade de ir na minha 1° Bienal do livro – SP nesse ano, passou um filme na minha cabeça... A literatura naquele momento de isolamento social foi terapêutico. Porém, nem nos meus sonhos mais insólitos eu pensei que eu entraria pela porta da frente do @expocenternorte como BLOGUEIRA/INFLUENCIADORA credenciada da @bienaldolivrosp.




Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também

6 de jul. de 2022

Resenha: Os Sete Maridos de Evelyn Hugo - Taylor Jenkins Reid.

 “Quando surge uma oportunidade para mudar sua vida, esteja pronta para fazer o que for preciso. O mundo não dá nada de graça para ninguém. Só tira de você.”



O livro Os Sete Maridos de Evelyn Hugo é narrado sob a perspectiva da jornalista Monique Grant. Uma jornalista na faixa dos trinta anos e que está com a carreira empacada.

Aviso de Gatilho: Violência doméstica, abuso psicológico, homofobia, suicídio, abordo e alcoolismo.

A importância da narrativa biográfica no decorrer da leitura especificamente é oferecer um acesso bastante útil para a análise não apenas da vida do narrador, mas principalmente das conexões entre o indivíduo, considerando-se, contudo, que qualquer narrativa é uma interpretação a partir de uma situação biográfica.

“Você tem que encontrar um trabalho que faça seu coração parecer grande, em vez de um que o faça parecer pequeno.”

Os personagens principais da história são Monique Grant e Evelyn Hugo. A história se passa em dois momentos: no passado e no presente. No presente, ela é uma senhora de 79 anos, reclusa, que decide dar uma última entrevista e convoca uma jornalista novata para tal. No passado (narrado por Evelyn na entrevista), ela é uma jovem determinada a enriquecer e fazer sua carreira acontecer. Tantos casamentos quase sempre são explicados por conta de necessidades da carreira dela no cinema – seja para ganhar popularidade, divulgar um filme ou manter as aparências.



Título: Os Sete Maridos de Evelyn Hugo
Título original: The Seven Husbands of Evelyn Hugo
Autor: Taylor Jenkins Reid
Tradução: Alexandre Boide
Editora: Paralela
Número de Páginas: 360
Ano de Publicação: 2019
Avaliação: ☕☕☕☕☕


O livro Os Sete Maridos de Evelyn Hugo conta a história de Evelyn Hugo que atualmente é uma senhora de 79 anos, reclusa, que decide dar uma última entrevista e convoca uma jornalista novata para tal.



“Você tem que encontrar um trabalho que faça seu coração parecer grande, em vez de um que o faça parecer pequeno.”

Sinopse: Lendária estrela de Hollywood, Evelyn Hugo sempre esteve sob os holofotes ― seja estrelando uma produção vencedora do Oscar, protagonizando algum escândalo ou aparecendo com um novo marido… pela sétima vez. Agora, prestes a completar oitenta anos e reclusa em seu apartamento no Upper East Side, a famigerada atriz decide contar a própria história ― ou sua “verdadeira história” ―, mas com uma condição: que Monique Grant, jornalista iniciante e até então desconhecida, seja a entrevistadora. Ao embarcar nessa misteriosa empreitada, a jovem repórter começa a se dar conta de que nada é por acaso ― e que suas trajetórias podem estar profunda e irreversivelmente conectadas.

“Quando tiver a oportunidade de mudar sua vida, esteja pronto para fazer o que for preciso para que isso aconteça. O mundo não dá coisas, você pega coisas.”


Taylor Jenkins Reid. Seus livros foram escolhidos pelo Reese's Book Club, Read with Jenna, Indie Next, Best of Amazon e Book of the Month. Seu romance, Daisy Jones and the Six, está sendo adaptado pela Hello Sunshine em uma série limitada para a Amazon. Ela mora em Los Angeles.



Além da narrativa ser construída em uma ordem cronológica através do passado e presente de Evelyn Hugo a veracidade dos fatos se dá com as reportagens bastante sensacionalistas da época. A entrevista da Evelyn Hugo é bastante sincera e com riqueza de detalhes sem filtro como é esperado para uma senhora de 79 anos. Os sete romances de Evelyn Hugo são inseridos com as idas e vindas do relacionamento com Celia. A personagem Celia St. James No auge dos anos 1950, é uma jovem recém saída de uma família rica e privilegiada pra tentar a sorte como atriz em Hollywood. A personagem serve para “furar a bolha” da hipocrisia da sociedade em que a personagem Evelyn Hugo está inserida.


“Eu te amei tanto que pensei que você era o sentido da minha vida. Eu pensei que as pessoas foram colocadas na terra para encontrar outras pessoas, e eu fui colocado aqui para encontrar você. Para te encontrar e tocar sua pele, e sentir sua respiração, e ouvir todos os seus pensamentos. Mas não quero ser feito para alguém como você.”

A maneira sutil em que Evelyn Hugo descobriu a sexualidade foi bastante positivo para a narrativa. Odeio quando personagem praticamente “arranca” a pessoa do armário. Ambas, personagens tinham medo de assumir a sua sexualidade lésbica/bissexual em uma sociedade bastante retrograda quanto 1950.... A Evelyn Hugo é uma personagem que causa identificação tendo uma personalidade com nuances de bondade e maldade como descobrimos no decorrer do livro. Que foi inspirada em outras mulheres como: Elizabeth Taylor, Ava Gardner e Rita Hayworth e outras grandes estrelas de Hollywood. Evelyn Hugo foi uma mulher que lutou pelos seus sonhos e fez tudo aquilo que foi preciso para chegar onde chegou. 


Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também

3 de jul. de 2022

EU VOU 26° Bienal do Livro SP 2022

Ontem, começou a 26° Bienal do Livro SP 2022, algo que para quem é muito fã de livros e de histórias aguarda ansiosamente todos os anos (ou a cada dois anos, caso não haja oportunidade de ir também na do RJ) por esse momento.



O evento acontecerá de 02 a 10 de julho na Expo Center Norte.

Essa será a minha 1° vez na Bienal do Livro SP _ eu consegui o credenciamento como blogueira/Influenciador do Expresso Literário_. Eu já fui em alguns eventos literários, mas nada que possa ser considerado com o tamanho e a estrutura de uma Bienal... As expectativas estão bem altas! Estar cercada de livros é algo que agrada todo o tipo de leitor. Embora, a Bienal do Livro tenha uma programação bastante variada com palestras, sessão de fotos com o autor e rodas de conversa que requer ficar um tempinho em filas... Eu estarei fugindo desse tipo de programação.


Quero aproveitar o máximo que eu puder (e que o meu corpo aguentar!) da 26ª Bienal do Livro SP 2022. Quero encontrar leitores, conhecer novos blogs literários, saber as novidades do mundo literário, saborear livros, fazer muitas fotos... Quero conhecer os stands das editoras queridinhas (Intrínseca, Harper Colins, Leya, Sextante, Arqueiro...) e conhecer outros stands de editoras novas.

“Um evento literário como a Bienal do Livro é importante para a interação editoras-leitores e autores/leitores, além de ser um espaço para fazer negócios que a maioria dos visitantes nem sabem que ocorre. Para o Mercado Editorial é o momento de fazer network: conhecer novos autores, fechar possíveis contratos, discutir novas tendências, entre outras coisas.”

No mês passado, eu comecei a organizar a viagem para São Paulo/SP. Ainda escreverei um post somente sobre a viagem... Mas, também pesquisei conteúdos sobre a Bienal do Livro. Pois, como eu já escrevi, eu sou “novata” nesse tipo de evento literário então eu garimpei algumas dicas que eu acredito ser muito válidas:



O que levar para a Bienal do livro?



Para andar praticamente o dia inteiro, é interessante levar o mínimo de coisas possíveis para não pesar na bolsa/mochila. Abaixo, os itens que vou pensar antes da minha visita e que com certeza estarão na minha bolsa após inúmeros acontecimentos em feiras anteriores:


· Ingresso impresso para economizar tempo na fila;
· Roupas adequadas para o clima de São Paulo (confira a previsão do tempo!);
· Roupas e sapatos super confortáveis para andar muitos quilômetros (a gente não percebe, mas anda demais dentro do pavilhão!);
· Mesmo se tiver calor (julho em SP - duvido), leve um casaquinho fino porque o ar condicionado costuma ser cruel nessas feiras grandes e na hora de sair à noite, vai estar frio;
· Garrafinha de água, que você pode encher nos bebedouros;
· Mochila (para carregar todas as comprinhas depois). Algum livro que você queira que seja autografado (ou melhor ainda: deixe para comprar lá e economize peso na mochila na ida);
· Comidinhas (tem uma praça de alimentação vendendo guloseimas diversas, mas às vezes você está do outro lado do pavilhão do que você quer comer e precisa enganar o estômago - isso sem contar as filas e o preço alto, né?);
· Band-aids para os machucados nos pés que podem aparecer;
· Celular com bateria cheia e carregador portátil (o sinal de internet costuma ser péssimo nos pavilhões lotados, mas sempre insistimos para usar whatsapp, redes sociais, tirar fotos...Já fui em feiras com totens para carregar celular, mas estão sempre cheios);
· Cartão de crédito/débito, dinheiro (lembram do sinal de celular que sempre é problemático? Isso afeta as maquininhas de cartão também. Em alguns stands tem caixas separados para pagamento em cartão ou dinheiro e você tendo as 2 opções, evita mais filas), carteirinha de estudante - no caso de meia entrada por exemplo, documento, carteirinha do plano de saúde;
· Remédios de uso diário;
· Lencinhos (importante para limpar a mão, a comida que caiu e sujou a roupa etc.);
· Máscara (com certeza haverá aglomeração - durante a semana por conta de visitas escolares e aos finais de semana, adolescentes e jovens querendo encontrar com autores e booktubers);
· Se você trabalhar na área, não se esqueça dos cartões de visit
a.

Dicas práticas dentro da Bienal do Livro:



· Logo no começo, a primeira coisa a se fazer é olhar o mapa da feira e localizar onde estão os stands que você quer visitar de qualquer jeito. Se você só tiver um dia para visitar e for em um fim de semana, pode só conseguir ver tudo se se organizar bem. Durante a semana, as feiras costumam estar cheias de alunos em excursão de escola - quanto mais para o final da semana, pior e aos fins de semana, está mais cheia ainda - porque são os dias que os principais autores estrangeiros costumam aparecer.

· Baixe o aplicativo grátis para facilitar sua localização e dicas de última hora. Se você quiser muito comprar vários livros, dê uma pesquisada online nos preços antes de ir porque mesmo com promoções na Bienal, muitas vezes você pode comprar para receber em casa pagando menos ou o mesmo valor e não ter que carregar o livro por horas e horas. Tem vários stands que são bem caros, nos anos anteriores logo na entrada à esquerda tinha alguns stands vendendo livros por R$5,00, R$ 10,00 ou R$ 15, 00.

· Costuma existir um guarda-volumes pago na entrada da feira que pode ser a salvação por exemplo se você quiser chegar de mala e cuia no Anhembi e só seguir para sua hospedagem no final do dia! Caso queira pegar autógrafo dos seus autores favoritos, geralmente tem que se inscrever com antecedência pois são senhas limitadas. Entre nas filas para participar das palestras com antecedência porque quanto mais famosa for a pessoa, maior vai ser a fila e só os que chegaram cedo que vão conseguir entrar! Além de tudo que já falei acima, se você estiver em grupo, marque um ponto de encontro para facilitar quando for juntar todo mundo de novo (lembre-se que são vários banheiros! Quanto mais específico o ponto de encontro, melhor).



Alguém mais aí estará na Bienal? Quando? Me avisem porque se for no mesmo dia que eu, podemos nos encontrar!



Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também


28 de jun. de 2022

Tag: 50% - Sobre as minhas leituras do 1° semestre de 2022.


A metade do ano de 2022 já se foi... Antes que o mês de Junho acabe... Eu irei responder a TAG dos 50% que basicamente se trata de fazer um balanço dos livros lidos nesses últimos 6 meses.



📚O melhor livro que você leu até agora, em 2022.

Na verdade, foi uma re-leitura do livro A Guerra que Salvou a Minha Vida - Kimberly B. Bradley. A primeira vez que eu li A Guerra que Salvou a Minha Vida lá em 2017 eu percebi que esse é um dos meus livros favoritos da vida... Desde então, eu esperei fazer uma re-leitura juntamente com o livro A Guerra que me Ensinou a Viver.

📚A melhor continuação que você leu até agora, em 2022: Algum lançamento do primeiro semestre que você ainda não leu, mas quer muito.

A Guerra que me Ensinou a Viver - Kimberly B. Bradley é uma das melhores continuações que eu li esse ano.


📚 O livro mais aguardado do segundo semestre.

Um dos livros mais aguardado para a galera que vai na Bienal é o livro O circo da noite - Capa dura Erin Morgenstern (Autor) que será lançado pela Morro Branco no dia 18 julho 2022.

📚 O livro que mais te decepcionou esse ano.

Eu conheci a escrita do Raphael Montes juntamente com a Ilana Casoy com o livro Bom Dia Verônica ⁣ e eas expectativas para ler Jantar Secreto eram bem altas... A história do livro Jantar Secreto depois do 67% a história desandou demais, aconteciam coisas que nem em um mundo de ficção passariam despercebidas, situações que não tinham finalidade alguma, capítulos e mais capítulos pra encher lingüiça que fez a história se arrastar e em outros momentos era muito rápido. O plot não funcionou comigo...

📚 O livro que mais te surpreendeu esse ano.

Eu estou me surpreendendo com as leituras de livros do GraficNovel e tenho um propósito de ler pelo menos 1 livro GraficNovel por ano. A leitura de Fragmentos do Horror 魔の断片 do autor: Junji Ito cumpri exatamente o que promete horror com desenhos com tinta nanquim.





📚 Novo autor favorito (que lançou seu primeiro livro nesse semestre, ou que você conheceu recentemente).

Eu estou lendo o livro Os sete maridos de Evelyn Hugo, da autora norte-americana Taylor Jenkins Reid que eu conheci a escrita recentemente e eu vou procurar outros livros desse autora.
📚 A sua quedinha por personagem fictício mais recente.

Não estou lendo nenhum livro de romance... Os personagens fictícios que eu estou lendo ultimamente são bastante problemáticos para ter alguma "quedinha".



📚 Seu personagem favorito mais recente.

O livro Minha vida fora dos trilhos trata-se da história de Abilene Tucker, que tem apenas 12 anos, mas é corajosa e impetuosa o suficiente para encontrar aventuras na pequena cidade de Manifest - Kansas, um fim de mundo para onde seu pai a enviou de trem a fim de passar o verão sob a tutela de um velho conhecido enquanto ele trabalha em uma ferrovia.

📚 Um livro que te fez chorar nesse primeiro semestre.

Heathcliff. É o protagonista de O Morro dos Ventos Uivantes. Tem um passado trágico marcado pelo abandono, pelo preconceito, pelosmaus tratos e pela negligência... A leitura é um pouco tensa e me fez chorar com alguns acontecimentos.⁣

📚 Um livro que te deixou feliz nesse primeiro semestre.

O livro Fragmentos do Horror foi o meu primeiro contato com os Mangás é a palavra usada para designar quadrinhos feita no estilo japonês.

Eu gostei de ler todos os contos. Mas, um dos contos que chamou a minha atenção é A Mulher que Sussurra que mistura o improvável com o chocante. As ilustrações é a qualidade maior da obra, os desenhos são sensacionais. O traço do autor beira o realismo tamanha sua preocupação com os detalhes de cenários e personagens. E isso faz com que as partes mais grotescas e bizarras das histórias consigam nos embrulhar o estômago.

📚Melhor adaptação cinematográfica de um livro que você assistiu até agora, em 2022.

Ano passado, eu li o livro De Volta aos Quinze da Bruna Vieira e apontei vários pontos para não ter curtido essa leitura. Porém, a série da Netflix é umas melhores adaptações cinematograficas dos ultimos tempos....

📚 Sua resenha favorita desse primeiro semestre (escrita ou em vídeo).

⁣A resenha do livro A GUERRA QUE ME ENSINOU A VIVER, KIMBERLY BRUBAKER BRADLEY. era uma das resenhas que eu mais sentia falta de escrever desde a 1° vez que eu li esse livro...



Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também


© Expresso Literário
Maira Gall