1 de dezembro de 2021

Resenha: O Labirinto do Fauno - Guillermo del Toro & Cornélia Funke

 “Todos nós inventamos nossos contos de fadas”

Esse final de semana, eu terminei de ler o livro O Labirinto do Fauno escrito por, Guillermo del Toro &  Cornélia Funke junto com o Grupo Multiverso 📖🖤🎬 - Grupo de leitura coletiva e debate de filmes.

A narrativa do livro “O Labirinto do Fauno” é escrito em primeira pessoa pela Ophélia que no inicio da história é uma pré- adolescente de 13 anos Órfã de pai, ela acredita em uma versão mais bonita do mundo, devora livros e questiona as escolhas da sua mãe Carmem que é uma mulher na casa dos trinta anos e que está grávida do Capitão Vidal um homem cruel e vilão da história e tiveram que se mudar para a sua casa. A narrativa é carregada por mulheres Temos exemplos de mulheres bem diferentes, com passados diferentes e motivações diferentes, porém todas têm uma força peculiar.
“Sua mãe dizia que os contos de fadas não tinham nenhuma relação com o mundo real, mas Ofélia sabia que tinham. Os contos haviam lhe ensinado tudo sobre o mundo”

No inicio da leitura, já somos transportados para a vida de Ophélia que se muda com a mãe para um moinho que serve de abrigo para o padrasto e seus soldados, no norte da Espanha franquista. A menina logo percebe que o novo lar pode ser muito cruel e sombrio. Mas o que ninguém sabe é que a floresta ao redor abriga criaturas mágicas e poderosas, habitantes de um reino subterrâneo repleto de encantos e horrores.


A edição física de luxo da Intrínseca é maravilhosa [A ultima edição caprichada assim que li da editora foi Coraline] Além de ilustrações inéditas de Allen Williams que nos lembra o universo de Floresta sombria que esta ambientado o livro, temos também contos extras que expandem o  universo do filme.
 

⚠️ Alerta de conteúdo: A história se passa em 1944, no final da Guerra Civil Espanhola; As cenas de violência são realmente descritivas; Embora, seja um livro lúdico de conto de fadas as as atitudes violentas são colocadas no meio do plano de uma forma bastante chocante.

 

Guillermo del Toro é um dos escritores e cineastas de maior destaque na indústria cultural americana. É roteirista e diretor do sombrio e fascinante O Labirinto do Fauno, de Hellboy, Círculo de Fogo e A Forma da Água, filme ganhador de quatro Oscar, incluindo Melhor Filme e Melhor Diretor. Del Toro é também co autor da série de livros Trilogia da escuridão. Pela Intrínseca, publicou A forma da água, obra que expande o universo do filme, e Caçadores de Trolls, adaptado para as telas pela Netflix. Cornelia Funke é uma escritora e ilustradora alemã que se tornou best-seller no mundo inteiro com seus contos de fadas modernos. É autora de O senhor dos ladrões, da trilogia Mundo de Tinta e da série Reckless, todos sucesso de público e crítica. Mora em Malibu, Califórnia.


Título: O Labirinto do Fauno
Autores: Guillermo del Toro e Cornelia Funke
Tradutora: Bruna Beber
Páginas: 320
Editora: Intrínseca
Avaliação:  ☕☕☕☕☕💓


No ano de 1944, Ophélia e a mãe cruzam uma estrada de terra que corta uma floresta longínqua ao norte da Espanha, um lugar que guarda histórias já esquecidas pelos homens. O novo lar é um moinho de vento tomado pela escuridão e pela crueldade do capitão Vidal e seus soldados, dispostos a tudo para exterminar os rebeldes que se escondem na mata. Mas, o que eles não sabem é que a floresta que tanto odeiam também abriga criaturas mágicas e poderosas, habitantes de um reino subterrâneo repleto de encantos e horrores, súditos em busca de sua princesa há muito perdida. Uma princesa que, segundo os sussurros das árvores, finalmente retornou ao lar.

“Em nossas escolhas encontra-se o nosso destino.”

As minhas expectativas em ler O Labirinto do Fauno era ter uma experiência literária lúdica dos contos de fada, algo como Alice no pais das Maravilhas. Não somente pela referências... Ambos, os filmes se passam em 1944, no final da Guerra Civil Espanhola e pela personagem principal ser uma menina mesmo sendo uma pré-adolescente tendo uma visão de mundo bastante peculiar.

Porém, o autor Guillermo del Toro tem como "característica" em não tirar a pré-adolescente Ofélia da realidade cruel na qual ela foi inserida. A gravidez de risco de Carmem acaba negligenciando os cuidados com Ofélia e a morte prematura do seu pai acabou transformando-a em adulta cedo demais e "malcriada" com as decisões dos adultos.


Mesmo que Ophélia tenha os seus livros de conto de fadas como fuga da realidade O Labirinto do Fauno não se mostrou de inicio como um refúgio para Ophélia somente um meio para conseguir completar as três tarefas: O sapo, o homem pálido e a última tarefa que é sacrificar sangue de um inocente.

 

“Geralmente é mais fácil encontrar algo novo do que aceitar o que já se encontrou.” 


A violência liderada pelo Capitão Vidal e a sua tropa é algo decorrente e bastante descritiva durante a narrativa. Porém, as personagens que carregam a história são personagens femininas:👧Ophelia,👰Carmen e 👩Mercedes. 

Temos exemplos de mulheres bem diferentes, com passados diferentes e motivações diferentes, porém todas têm uma força peculiar. Como a narrativa é contada aos olhos de Ophelia, nós leitores somos "levados" a ver as personagens Mercedes e Carmen como contrapartes. Uma é o oposto da outra, o que torna muito fácil colocá-las em oposição. Porém, elas são mulheres muito diferentes e é justamente o passado e a situação social de cada uma que as faz ser o que são.

Na última tarefa, onde a morte está eminente, O Fauno apresenta-se para Ophelia de uma maneira um tanto quanto, compreensiva, diferente dos primeiros encontros que  apresentou-lhe as primeiras tarefas. O mundo subterrâneo, só se mostrou mágico no final da narrativa senti falta do  "Pais das Maravilhas" de Ophélia que na realidade éra a princesa Moana...

Eu não conhecia a escrita dos autores Guillermo del Toro &  Cornélia FunkeA narrativa do livro O Labirinto do Fauno, é mágico com um toque de crueldade... Embora, não seja uma obra infantil é necessária para o mundo de hoje.


Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também 

 


6 comentários

  1. Essas ilustrações dentro do livro sao tao lindas, essa edição é um arraso neh!
    Quando saiu o livro confesso que nao dei muita bola pra historia, mas qdo comecei a ler as resenhas eu fiquei bastante interessada.
    E a adaptação nao me lembro se vi, apesar das imagens dela ser familiares, a historia nao consigo me lembrar. Que engraçado isso.
    Muito curiosa pra ler o livro e espero gostar da leitura!

    ResponderExcluir
  2. Você definiu tão bem..toques de crueldade. Eu me senti bem assim ao ler esse livro que juro que vai ser lido novamente no próximo ano.
    O filme, sabe aqueles dias que você não está bem? Pois é, eu vou lá e revejo ele.
    Me faz um bem danado e em breve quero ler A Forma da Água que amei o filme!
    Guillermo é daqueles homens únicos!!
    Beijo

    Angela Cunha/O Vazio na flor

    ResponderExcluir
  3. Eu juro que desde que vi esse livro sendo muito falando aqui no blog, ele andar na minua mente. Sua resenha foi maravilhosa o livro está me interessando muito.

    ResponderExcluir
  4. Olá
    Ótima resenha
    Esse não é um tipo de gênero que leio com frequência. Mas depois de ler a sua resenha ,e de ver os 5 motivos para ler O labirinto do fauno eu fiquei com vontade de conhecer a estória da Ophelia.
    Também vou assistir o filme.

    ResponderExcluir
  5. Acabei de conhecer o seu blog e já amei!
    To pra ler esse livro há um tempão mas ainda não peguei, porém sua resenha me animou. Quem sabe ainda consigo encaixar a leitura esse mês, to curiosa ;)

    Beijos
    http://brenshelf.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Olá! Realmente essa edição do livro é lindíssima, e chama bastante atenção, embora não tenha assistido ao filme, o enredo parece ser maravilhoso, com uma história que encanta, mas que também nos faz refletir e acredito tem uma dose de realidade, espero ler o livro em breve, afinal ele está aqui na minha estante há algum tempo.

    ResponderExcluir

© Expresso Literário
Maira Gall